Entendendo a Afasia

A AFASIA é um distúrbio neurológico adquirido, caracterizado por uma perturbação da formulação e compreensão da função da linguagem, depois de ter sido adquirida de maneira normal e não causada por dificuldade intelectual.

 

A principal causa da AFASIA é o acidente vascular cerebral (AVC), que resulta em uma lesão cerebral, na maior parte das vezes, ocorre do lado esquerdo do cérebro.   Deste modo, essa patologia provavelmente é a maior sequela ou limitação, do ponto de vista pessoal, social ou econômico, resultante de um dano cerebral.

 

A AFASIA não se manifesta apenas na linguagem oral. Pode manifestar-se também na escrita, porque os pacientes perderam a capacidade de simbolizar, de traduzir o comando cerebral para a linguagem escrita. Em alguns casos, são capazes de escrever sob ditado ou de copiar, mas incapazes de ler o que escreveram. Em outros, trocam ou omitem letras, às vezes, as vogais; às vezes, as consoantes.

 

O diagnóstico é feito através da avaliação da capacidade de compreensão e expressão do paciente.   Entretanto, o FONOAUDIÓLOGO deve tentar diferenciar afasias de problemas de comunicação que se originam de disartria grave ou da audição, visão ou capacidade motora de escrever prejudicadas.

 

Testes específicos ajudam a correta avaliação, como os testes de: fala espontânea, nomeação, repetição, compreensão e leitura e escrita.

O tratamento para a afasia é longo e deve ser o mais precoce e frequente possível.   Se possível, a estimulação deve ser iniciada à beira do leito, ainda com o paciente internado, logo após o diagnóstico do AVC.

 

Conhecendo as condições exatas em que se encontra o paciente, o FONOAUDIÓLOGO irá construir pontes entre as habilidades que permaneceram e as que foram perdidas, valendo-se da plasticidade do sistema nervoso central.  A plasticidade neuronal permite estabelecer novas ligações entre os neurônios.

 

No tratamento da afasia, a estimulação controlada, com exercícios que estimulem a linguagem oral e escrita, tem por objetivo ajudar a pessoa a construir cadeias para ultrapassar os déficits provocados pela lesão, de modo a tornar as palavras novamente disponíveis.

 

Para isso é importante planejar com antecipação as sessões, levando em conta a idade do paciente, o grau de instrução e suas preferências pessoais, além do grau de perda verificado.

 

O tempo de duração de tratamento irá depender do prognóstico inicial realizado após uma avaliação.

 

Alguns pacientes afásicos recuperam-se em tempo relativamente curto enquanto outros podem levar mais tempo para recuperar-se totalmente.

 

Além do tratamento médico e fonoaudiológico, existe também a opção de combinação com acompanhamento com fisioterapeutas, terapia ocupacional e psicologia.

LogoLiviaHorizontal.png