Entendendo a Apraxia de Fala na Infância

A APRAXIA é uma desordem neurológica que se caracteriza por provocar uma perda da capacidade em executar movimentos e gestos precisos que conduziriam a um dado objetivo, apesar do paciente ter a vontade e a habilidade física para os executar.

Resulta de disfunções nos hemisférios cerebrais, no lobo frontal, mais especificamente no córtex motor e na sua área motora secundária.

Caracteriza-se, mais especificamente, na diminuição da capacidade para executar atividades motoras apesar das capacidades motoras, a função sensorial e a compreensão da tarefa requerida estarem intactas.

Leva à diminuição das capacidades da utilização de objetos (por exemplo, escovar o cabelo) e da capacidade de execução de atos motores conhecidos (por exemplo, acenar em adeus).

O termo “apraxia” foi usado pela primeira vez em 1871 por Steinthal.  Não existe uma definição universal para o termo, mas Rothi e Heilman sugerem que seja definido como uma alteração neurológica da capacidade de movimento apreendido e proposicional que não possa ser explicado por defeitos elementares da motricidade nem dos sistemas sensoriais.

 

A APRAXIA DE FALA NA INFÂNCIA é definida pela Associação Americana de Fonoaudiologia como um “distúrbio neurológico motor da fala em crianças, resultante de um déficit na consistência e precisão dos movimentos necessários ao ato de falar.

 

Podemos afirmar que a APRAXIA DE FALA NA INFÂNCIA, não é apenas um atraso na fala, pelo contrário, é um distúrbio neurológico-funcional que afeta a precisão da musculatura dos órgãos fonoarticulatórios e a sequência dos movimentos musculares necessários à criança para produzir e sequencializar os sons da fala da forma que seria comum à sua idade.   Fazem parte dos órgãos fonoarticulatórios os lábios, a língua, o palato mole, o palato duro e dentes.

 

A criança com apraxia tem a ideia do que quer comunicar, mas seu cérebro falha ao planejar e programar a sequência de movimentos ou gestos motores da mandíbula, dos lábios e da língua para produzir sons e formar sílabas, palavras e frases.

 

É uma alteração funcional e que nem sempre é detectada em exames para o estudo do cérebro (como ressonância e tomografia).

 

Pode ocorrer como resultado de impedimento neurológico de origem conhecida, associada a desordens neurodesenvolvimentais complexas de etiologia conhecida ou não, ou como um distúrbio neurogênico idiopático da produção dos sons da fala (sem causa definida).

 

Existem várias terminologias para este quadro, como: dispraxia verbal, dispraxia do desenvolvimento da fala, apraxia desenvolvimental, dispraxia articulatória, desintegração fonética.   São diferentes nomes para explicar o mesmo problema.  No entanto, é importante salientar, que a Associação Americana de Fonoaudiólogos, desde 2007, definiu e padronizou o termo Apraxia de Fala na Infância (CAS, Childhood Apraxia of Speech).

 

A apraxia da fala atinge cerca de uma ou duas crianças em cada mil. O transtorno atinge mais meninos que meninas (nove meninos para cada uma menina afetada). O que chama a atenção é que no sexo feminino a apraxia da fala costuma ser mais severa que no masculino.

 

Como uma desordem da fala, o FONOAUDIÓLOGO especializado na área de linguagem é o profissional qualificado para fazer o correto diagnóstico.

 

Deve ser realizada uma avaliação minuciosa de todos os aspectos da fala, da linguagem e da motricidade oral da criança, incluindo as habilidades práxicas e, muitas vezes até do ambiente familiar e educacional da criança.

 

Pode ser necessário também o encaminhamento para outros profissionais, como Terapeutas Ocupacionais, Psicólogos, Neuropediatras, etc.

 

Quanto mais cedo esse diagnóstico e início do tratamento terapêutico maiores são as possibilidades de resultados significativos, mas é importante acrescentar que esse resultados são obtidos a longo prazo e com empenho da criança e familiares nas atividades terapêuticas. Fatores, como a gravidade do quadro e a idade da criança também devem ser considerados.

 

A APRAXIA DA FALA NA INFÂNCIA pode acarretar dificuldades que irão persistir na idade adulta.

 

Mais informações sobre o tema podem ser encontradas nos site da Associação Brasileira de Apraxia de Fala na Infância em www.apraxiabrasil.org.

LogoLiviaHorizontal.png