Entendendo a Deglutição

DEGLUTIÇÃO é o ato de engolir alimentos ou saliva, que consiste em uma ação automática de contrações musculares para levar o alimento desde a cavidade bucal até o estômago. A deglutição pode ser observada ainda na vida fetal e é comandada pelo tronco cerebral.

O processo de DEGLUTIÇÃO é complexo e é separado em três fases:

 

  • Fase oral (fase voluntária)

Inicia com o processo da mastigação, em que transforma o bolo alimentar maleável e com tamanho próprio para ser engolido.  A língua se move de forma para empurrar o bolo alimentar para a faringe.  Esse processo é feito com contração voluntária dos músculos da face e da cavidade oral.

 

  • Fase faríngea (fase involuntária)

Após o bolo alimentar chegar na faringe, o processo se torna involuntário.  É importante ressaltar que a faringe é uma via comum para o ar que respiramos, ou seja, é impossível respirar e engolir ao mesmo tempo.   Dessa forma, a via alimentar e as vias aéreas inferiores devem estar livres e, para que isto ocorra, a respiração deve ser inibida durante a deglutição, “fechando-se” a via aérea.

 

  • Fase esofagiana

Essa é a última fase da DEGLUTIÇÃO. Ela consiste em fazer a passagem do alimento pelo esôfago. No início e no fim do órgão existem dois músculos em forma de anel que impedem que o conteúdo presente no estômago volte à boca.  Após passar pela faringe, o anel chamado esfíncter esofagiano superior se abre permitindo a passagem da comida ao esôfago.  Após essa passagem, o anel é fechado para que o bolo alimentar não possa voltar à orofaringe.  Nesse mesmo momento, o anel que está posicionado embaixo do esôfago se abre para que o bolo alimentar passe para o estômago.  Esses movimentos ocorrem por conta das peristalses, ou seja, contrações musculares sincronizadas levando a comida para baixo.

 

Existem ainda poderosos reflexos, como tosse e engasgo, que servem para proteger as vias aéreas da entrada do alimento.

 

O papel da FONOAUDIOLOGIA em pacientes com alteração da deglutição (disfagia) é reabiltiar o ato de deglutir, preparando os músculos para que consigam realizar de maneira adequada e segura essa função.

A terapia segue por dois caminhos.

  • Trabalho indireto: significa utilizar exercícios para melhorar os controles motores que são pré-requisitos para uma deglutição normal, através de técnicas de mobilidade e MOTRICIDADE ORAL.   As técnicas variam de acordo com a avaliação de cada paciente e visam adequar a tonicidade e mobilidade muscular oral e eliminar movimentos considerados inadequados ou indesejados.

​​

  • Trabalho direto: significa introdução do treino com o alimento via oral e reforço dos comportamentos apropriados durante a deglutição, através de técnicas ativas como o treino da deglutição com saliva e alimentos em diferentes consistências, volumes, temperaturas e sabores.  Trabalha-se ainda com posturas compensatórias naqueles pacientes com perdas estruturais ou funcionais importantes.

 

Alterações no processo de DEGLUTIÇÃO podem acarretar DISFAGIA.

O vídeo abaixo mostra gráfica e didaticamente todo o processo de DEGLUTIÇÃO.

LogoLiviaHorizontal.png